EMAS

É afirmado que “num território onde os efeitos das alterações climáticas já se fazem sentir, torna-se decisivo implementar as melhores práticas e processos de gestão que permitam reduzir as perdas de água nos sistemas de abastecimento públicos”.

Segundo a EMAS, foram implementadas de forma integrada várias acções, cujo balanço intermédio efectuado no 1º semestre de 2019 apresenta uma média de 23,6% de água não facturada. Ainda de acordo com a EMAS “esta melhoria, materializada numa redução progressiva permitiu no mês de Junho o resultado mais baixo de sempre da história da EMAS de Beja, com um valor de 12,3%”. A actual percentagem de água não facturada em Beja está 6,6% abaixo da média nacional que se encontra nos 30,2%, num distrito onde a média ronda os 48,7%.

São dado que deixam muito satisfeito Rui Marreiros, administrador executivo da EMAS de Beja.

Ainda segundo Rui Marreiros com estes dados a EMAS de Beja inicia a divulgação de vários indicadores que pretendem “medir” o “desempenho” desta entidade.



Comente esta notícia