Cuca Roseta e Os Vocalistas

Paulo Arsénio, presidente da Câmara Municipal de Beja, define o Festival B como inovador, pois, além de juntar o cante, o fado e a dieta mediterrânica, a iniciativa aposta, também, na valorização da história e do património da cidade bejense e, nesse sentido, os quatro palcos onde vão decorrer os espetáculos estão situados em zonas do centro histórico, nomeadamente, no Museu do Sembrano, no Museu Regional, na Torre de Menagem e na Igreja da Misericórdia.

Além disso, durante os três dias do evento, o Núcleo Museológico do Sembrano e o Museu Regional vão estar abertos até à meia-noite e vão haver visitas guiadas pelo centro histórico, com partida do Núcleo Museológico, às 15.00 horas.

Quanto à programação deste primeiro dia de Festival B, que arranca, no Museu Regional, às 17.00 horas, com o projeto “Cante nas Escolas”, destaque para o concerto de Marco Rodrigues e “Os Cantadores de Beringel”, às 23.00 horas, também, no Museu Regional e, a partir das 00.15 horas, sobem ao palco da Praça da República, Cuca Roseta e “Os Vocalistas”.

O Festival B é um projecto bi-temático, delineado para 4 anos, sendo que nos anos pares, ou seja, 2018 e 2020, o foco da iniciativa vai para a fusão do cante, fado e dieta mediterrânica, enquanto que nos anos ímpares, 2019 e 2021, se celebra o amor e Mariana Alcoforado.

Consulte o programa completo aqui: 

http://www.mysound-mag.com/2018/06/festival-b-em-beja.html 



Comente esta notícia

Galeria de fotos