correios

No documento é afirmado que “ Os CTT são, actualmente, uma empresa inteiramente privatizada desde 2013, sendo o quinto País do Mundo com correios integralmente privados” e que “ Na Dinamarca e no Reino Unido as privatizações foram revertidas, devido ao mau desempenho de serviço, que se quer garantido e ao serviço de todos”.

A Moção refere ainda que “Foi violado o contrato de concessão na Base VII, uma vez que não se manteve a qualidade, continuidade e disponibilidade do serviço prestado pelos CTT” e que “Estão previstos mais encerramentos de balcões dos CTT até ao fim deste ano, dando-se primazia ao Banco dos CTT, prevendo-se o despedimento de mais trabalhadores e passando o serviço a ser efectuado por lojas de comércio a retalho, papelarias, mercearias, entre outros, o que não garante a qualidade e eficiência do mesmo”.

Posto isto, a Assembleia Municipal de Beja, através da Moção, expressa a sua “indignação pela contínua degradação do serviço de correios prestado pela empresa CTT, desde a data da sua privatização”, e pelo “contínuo incumprimento do contrato de concessão e das normas que regulam o serviço de entrega postal universal”.

A Assembleia Municipal exorta o Governo “a adoptar medidas de protecção do serviço de entrega postal universal, como a reversão da privatização do serviço e consequente regresso do mesmo à esfera pública”.




Comente esta notícia