Mariana Alcoforado

O “Festival B”, um dos pontos altos do programa, a realizar em Junho, será dedicado a Mariana Alcoforado e às “Cartas Portuguesas” uma das mais bonitas histórias de amor. Uma paixão que nasceu num dia especial, do ano de 1666, através da janela gradeada de um convento. Uma paixão tornada universal, pelas cinco cartas escritas a um jovem oficial da cavalaria francesa, de seu nome Nöel Bouton, Marquês de Chamilly.

Embora os originais das cartas não tenham chegado aos nossos dias, sabemos da sua existência pela primeira edição das mesmas, datada de 4 de Janeiro de 1669, em França, no mesmo ano seguiu-se uma outra edição, na cidade alemã de Colónia, as edições sucederam-se um pouco por toda a Europa e, já em 1923, de acordo com Godofredo Ferreira, estudioso e coleccionador das obras sobre as cartas, existiam 130 edições em diversas línguas. Este amor maior foi, e continua a ser, fonte de inspiração para poetas, filósofos, escritores, cineastas, artistas plásticos, músicos.

As iniciativas começam, esta tarde, com a inauguração, às 19.00horas, da exposição permanente 100 PASSOS, no Museu Regional de Beja, com o apoio do Arquivo Distrital de Beja e da CIMBAL.

Esta mostra, que vai ficar patente ao público ao logo de todo o ano, foi apresentada à Voz da Planície por Paulo Arsénio, presidente da autarquia de Beja.

Ainda segundo, Paulo Arsénio ao longo deste ano vão decorrer várias iniciativas dedicadas a Mariana Alcoforado, o ponto alto vai acontecer em final de Junho. A cidade de Beja é o palco privilegiado, mas algumas iniciativas também devem chegar a algumas freguesias rurais.







Comente esta notícia