Beja Merece+ Documento Governo

Florival Baiôa, do Beja Merece+, esclareceu que “foram feitos dois convites ao movimento, um pelas Infraestruturas e outro pelo Planeamento” e que “o coletivo decidiu comparecer nestes dois encontros”. “O Beja Merece+ quer”, acrescentou, “que as pessoas e tutela percebam a importância de se lutar por esta possibilidade, na medida em que só ela evita ter de se esperar, na melhor das hipóteses, até 2028”, frisou, também, Florival Baiôa.

“Beja é a única capital de distrito sem acessibilidades rodoviárias, e ferroviárias, adequadas e já não é só o movimento que o diz, esta é uma realidade reconhecida um pouco por todo o país”, recorda Florival Baiôa. Acrescenta: “de que serve o Alqueva, quando não se pode escoar e não se é apelativo para a fixação de agro indústrias, por falta de acessibilidades.” “De que serve o Alqueva sem o aeroporto a funcionar, quando esta infraestrutura pode ser o meio que nos falta, igualmente, para atrair emprego jovem”. Para Florival Baiôa “está na altura de se exigir a eletrificação e a 2ª fase do Hospital para 2020” e afirma mesmo que “se tal não acontecer está-se a hipotecar o desenvolvimento da região por mais 10 anos”.

Hoje a reunião é com as Infraestruturas, na próxima quarta-feira, dia 12, é com o Planeamento.


Comente esta notícia