Apresentação Estela

A vereadora fez aquela revelação ontem, paralelamente à sessão de apresentação da estela da Idade do Bronze - datada de entre 1600 a 1200 a.C. e que foi descoberta no Monte do Ulmo, Santa Vitória - que decorreu no Núcleo Museológico do Sembrano, em Beja.

Sónia Calvário quando foi questionada sobre o destino dos vários achados arqueológicos do concelho explicou que a criação de um Museu de Arqueologia é uma ideia que está a ser estudada e que vai integrar o futuro Centro de Arqueologia e Artes da cidade, que ocupará um conjunto de edifícios situados na Praça da República, que envolvem um logradouro interior onde têm sido escavados, e colocados, a descoberto os vestígios do antigo fórum romano da cidade Pax Julia.

A estela que foi apresentada ontem, em Beja, é uma descoberta rara, uma vez que não chegam às três dezenas as estelas deste tipo atualmente conhecidas no sudoeste peninsular. O achado foi cedido à Câmara de Beja, pelo seu proprietário e agora vai ser estudado, documentado cientificamente e exposto em Santa Vitória, onde voltará a ser apresentado. As declarações são do arqueólogo Miguel Serra.

A estela da Idade do Bronze regressará mais tarde a Beja para ser guardada no depósito da autarquia de achados arqueológicos e poderá vir depois a integrar o Museu de Arqueologia, que a Câmara pretende criar no futuro Centro de Arqueologia e Artes da cidade. 


Comente esta notícia