correios

João Português, presidente da Câmara de Cuba, revelou à nossa estação que a previsão é que a privatização seja concretizada nos próximos dias e que a autarquia está contra esta decisão, explicando porquê.

Para João Português isto significa "mais uma machada" para o Município de Cuba e afirma que é preciso pedir responsabilidades ao Governo e à ANACOM sobre esta decisão. O autarca de Cuba frisa mesmo que o Governo diz uma coisa sobre o Interior e que depois faz outra, referindo que com este tipo de ação é impossível combater desertificação e desemprego, assim como fixar população jovem no concelho.

O presidente da Câmara João Português disse ainda, que vai continuar a exigir que os acordos sejam cumpridos e que se mantenha a Estação de Correios dos CTT de Cuba.

A empresa justifica o encerramento de estações dos CTT com a necessidade de "compatibilizar serviços" e com a "gestão de recursos".


Comente esta notícia