Banco Alimentar

A campanha realiza-se em lojas de todo o país, com voluntários identificados, à porta dos supermercados que convidam quem vai às compras a partilhar alimentos com quem precisa.

Produtos não perecíveis, tais como leite, azeite e óleo, açúcar, conservas, bolachas, grão e feijão, massas, cereais, arroz, farinha são recomendados pela facilidade de preservação.

Lutar contra o desperdício, recuperando excedentes alimentares, para os levar a quem tem carências alimentares, mobilizando pessoas e empresas, que a título voluntário, se associam a esta causa é a missão do Banco Alimentar.

Em declarações à Voz da Planície, Tadeu de Freitas, presidente do Banco Alimentar de Beja, explica a importância desta ação, deixando um apelo a todos para que apoiem a causa, contribuindo, durante o fim-de-semana, com a partilha de alimentos.

Para quem não tem oportunidade de ir ao supermercado durante o fim-de-semana, mas quer contribuir, o Banco Alimentar disponibiliza até 2 de Junho duas alternativas: o portal de doação online, alimentestaideia.pt  e a campanha “Ajuda Vale” nos supermercados. As declarações são de Tadeu de Freitas.

Na última campanha de recolha que decorreu em dezembro de 2018, a zona de atuação do Banco Alimentar Contra a Fome de Beja angariou 24 toneladas de produtos alimentares.

Após a campanha, os bens alimentares foram distribuídos localmente, a mais de 2100 pessoas com carências alimentares comprovadas, através de 28 Instituições de Solidariedade Social previamente selecionadas para o efeito e acompanhadas na sua atividade.

A campanha mobilizou cerca de 1500 voluntários, que recolheram as contribuições nos 67 supermercados, onde foi organizada a iniciativa.


Comente esta notícia