Partido Comunista Português
A DORBE do PCP está a promover, por estes dias, a 2ª fase da campanha "Mais direitos! Mais Futuro! Não à precariedade!".

Esta campanha, decorre há mais de um ano por todo o país, e tem como objectivo conhecer e denunciar a precariedade e os baixos salários verificados em vários locais de trabalho, bem como colocar a proposta e alternativa política que o PCP propõe, apontando a luta organizada dos trabalhadores como o caminho para derrubar a precariedade e construir uma política assente no direito ao trabalho e ao trabalho com direitos.

No decorrer da campanha no distrito de Beja, contam-se inúmeras acções de contacto com trabalhadores nos locais de trabalho, desde as autarquias locais, passando pelo Call-Center da PT, pelas grandes superfícies comercias, pela Almina e Somicor.

Em jeito de balanço, Miguel Violante, da DORBE do PCP, fala daquilo que encontraram de mais preocupantes junto dos trabalhadores.

Neste momento, a campanha centra atenções no contacto com os trabalhadores da Administração Pública Local e Nacional e aparelho empresarial do Estado. Neste capítulo, Miguel Violante apresenta como exemplo, aquilo que se passa no sector da saúde, em que as 35 horas de trabalho semanais ainda não chegaram a todos, numa luta que, garante, tem que continuar.



Comente esta notícia