cante alentejano

Neste dia, em que são aguardadas, com ansiedade as melhores notícias, recordamos que a ideia da candidatura partiu de um desafio lançado ao presidente da autarquia de Serpa, João Rocha, pelo embaixador Fernando Andresen Guimarães, que já foi presidente da Comissão Nacional da UNESCO. A sugestão veio na sequência da preparação da candidatura da cidade de Serpa à Rede de Cidades Criativas da UNESCO, no tema Música. Quando esta notícia surgiu, nos finais de 2011, avançava que o processo seria entregue em Março de 2012, na sede da UNESCO.

Mas naquele que foi o primeiro processo de candidatura do cante a património da humanidade, as coisas não correram pelo melhor e o processo foi adiado por um ano.

No final de 2012, a 27 de novembro, voltaram as notícias acerca da entrega da candidatura do cante alentejano a património imaterial da humanidade, para o início de 2013, numa revelação feita em Lisboa, na abertura de um colóquio internacional sobre políticas públicas, pelo presidente da Comissão Nacional da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, António de Almeida Ribeiro.

A 11 de Janeiro de 2013, a Câmara de Serpa revelava que \"a candidatura do cante alentejano a Património Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO ia ficar pronta" no final daquele mês e que assim que o dossiê estivesse concluído seria "entregue de imediato à Comissão Nacional da Organização das Nações Unidas para a Educação Ciência e Cultura (UNESCO), para que o seu presidente pudesse cumprir o compromisso que assumiu de o fazer chegar a Paris, assim que o tivesse em sua posse.

A 28 de Março de 2013, a candidatura do cante alentejano a Património Cultural Imaterial da Humanidade deu formalmente entrada, no comité internacional da UNESCO.

As notícias da formalização do processo na secretaria da UNESCO e da sua aceitação chegavam a 2 de Abril de 2013.

A 8 de Maio de 2014, o documentário:  "Alentejo, Alentejo"  foi distinguido como Melhor Longa-metragem Portuguesa pelo IndieLisboa 2014. O filme que também se inseriu na candidatura do cante alentejano a património da humanidade, mostrou a qualidade deste processo, disse na altura à Voz da Planície Paulo Lima, presidente da Casa do Cante e um dos elementos envolvidos na candidatura.

No mês que passou, no dia 27, foi entregue o parecer favorável de uma comissão internacional de especialistas da UNESCO. Um parecer que saiu de uma reunião prévia aos trabalhos do Comité do Património Imaterial da Humanidade, que vai reunir-se entre 24 e 27 deste mês e, de onde vai sair a decisão final.

O Município de Serpa esteve na dianteira do processo de inscrição do cante alentejano como património imaterial da humanidade e o presidente Tomé Pires, no "Preto no Branco", do dia 31 do passado mês de Outubro, avançou que para além do parecer favorável que já obteve, a candidatura submetida foi considerada "exemplar", frisando que ficou dentro das 60 propostas aprovadas e que integra um grupo restrito de cinco, as consideradas exemplares.

A decisão final é conhecida esta tarde.


Comente esta notícia