Castro Verde
Recorde-se, que se trata de uma classificação que distingue áreas territoriais de protecção dos recursos naturais e pretende criar modelos de gestão que unam autoridades públicas e populações locais, através do diálogo, da troca de conhecimento, da melhoria do bem-estar, do respeito pelos valores culturais, em torno do desenvolvimento económico e humano sustentável.

Esta candidatura tem por base o facto de Castro Verde ser um "Ecossistema Humanizado de Alto Valor Natural", fruto de um trabalho contínuo de há varias décadas a esta data, com resultados ao nível da preservação da biodiversidade e dos valores naturais, culturais e paisagísticos que conferem ao concelho uma diversidade única e específica, que tem visado encontrar formas de valorizar, incrementar e divulgar o território, contribuindo para o desenvolvimento local.

Paulo Nascimento, vereador da Câmara Municipal de Castro Verde, começa por recordar como é que surgiu esta candidatura.

Ainda de acordo, com Paulo Nascimento esta classificação abre várias perspectivas tendo em vista o desenvolvimento sustentável.

Segundo, a autarquia castrense, a elaboração da candidatura implicou a dinamização de um processo de construção comunitária, iniciado em 2013, e culminou com a sua entrega em Setembro de 2016, tendo por base a parceria entre a Câmara Municipal de Castro Verde, a Associação de Agricultores do Campo Branco e a Liga para a Protecção da Natureza, entidades promotoras da candidatura. Depois de ter merecido o parecer positivo do Comité Nacional do Programa Man & Biosphere, a subscrição do Estado Português e a sua consequente entrega na UNESCO, em Paris, as entidades promotoras estão confiantes na sua aprovação.






Comente esta notícia