água torneira

Foi o vereador da CDU Vítor Picado quem explicou os motivos que levaram estes eleitos a votar contra o aumento em causa “levado a cabo por via da componente de água de abastecimento e por via do aumento tarifário da componente de águas residuais”, dizendo que os pressupostos em que o mesmo se baseia “não correspondem à verdade”.

Os vereadores da CDU afirmam que “a revisão tarifária é uma necessidade da EMAS, mais que não seja para dar cumprimento às recomendações das ERSAR, as quais podem trazer uma maior uniformidade ao tarifário”, situação que, na opinião destes eleitos “não foi tida em consideração nesta proposta de atualização, que tem apenas como objetivo o aumento de receitas de curto prazo às custas dos orçamentos familiares” e “cuja fatura deste mês de janeiro já revela esse impacto significativo.”As declarações são, também, do vereador Vítor Picado.

Vítor Picado salienta, ainda, que “no anterior Executivo, de maioria CDU, foram desenvolvidos todos os esforços de forma a que os consumidores não fossem confrontados durante o mandato de 4 anos com qualquer aumento na fatura da água, levando-se a cabo uma requalificação da rede de água num investimento superior a 3.000.000 €, o que se traduziu numa redução das perdas de água em 628.000 m3 (12% foi a percentagem de redução do índice de água não faturada)”.

Apesar das várias tentativas efetuadas, a Voz da Planície não conseguiu chegar à fala com o administrador da EMAS de Beja, Rui Marreiros sobre esta matéria.


Comente esta notícia