Acessibilidades

Quanto à ferrovia, a CIMBAL quer ver inscrita no PNI 2030, “a modernização e eletrificação da Linha do Alentejo em toda a sua extensão (Casa Branca-Beja- Ourique), acompanhada da requalificação das estações e apeadeiros e, também, a aquisição de material circulante de última geração”.

No que à rodovia diz respeito, a CIMBAL identifica como prioritário constar no PNI 2030, “a concretização do IP 8, na ligação A2 – Vila Verde de Ficalho (fronteira com Espanha); as ligações Beja-Aljustrel-Odemira e Ourique-Sines, em formato de Itinerário Complementar; a construção de variantes às localidades de Moura e Aljustrel; a requalificação profunda das ligações a Barrancos (via Safara e via Amareleja); a manutenção e requalificação das estradas nacionais que atravessam o Baixo Alentejo”.

“A afirmação do aeroporto de Beja como alternativa à sobrelotação do Aeroporto Humberto Delgado e complementar do Aeroporto de Faro, no que respeita a voos de passageiros” e “o estímulo ao desenvolvimento de um cluster aeronáutico, com incentivos à instalação de empresas na área da manutenção, carga, estacionamento e desmantelamento e escola de pilotos” são projetos que a CIMBAL, também, quer ver considerados no PNI 2030, como investimentos prioritários. 


Comente esta notícia