Contra a Pobreza Alimentar

A Cáritas de Beja refere no documento enviado à nossa redação que no território da Diocese “são centenas as IPSS e outras organizações que acodem, confecionam e distribuem alimentos e refeições a muitas famílias e pessoas em situação de insuficiência alimentar.”

“O atual modelo de produção, oferta, distribuição e consumo de alimentos tem sido incapaz de resolver os problemas de soberania e segurança alimentar da população. Apenas metade das perdas alimentares de hoje podem nutrir toda a população que atualmente está a morrer de fome no mundo.

O desperdício de alimentos enfraquece a economia, torna as empresas menos competitivas, aumenta os gastos das famílias e força as autoridades públicas a alocar recursos para administrar os excedentes e as perdas de alimentos que poderíamos ter aproveitado”, refere, ainda, a Cáritas.


Comente esta notícia