CLAIM Serpa

O protocolo de criação do CLAIM de Serpa – Centro Local de Apoio à Integração de Migrantes foi celebrado, em Pias, entre o Alto Comissariado para as Migrações, a Rota do Guadiana e a Câmara Municipal de Serpa. O lançamento do “Serpa Interculturalidades”, que tem como objetivo promover a inserção social da comunidade imigrante, que todos os anos se dirige ao concelho, foi feito ontem, igualmente, em Pias.

O CLAIM e o projeto “Serpa Interculturalidades” definem as medidas que visam uma integração plena dos migrantes e o Centro passa a integrar a rede de 92 centros locais distribuídos pelo país. A secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, Rosa Monteiro, frisou que em Serpa existe agora uma resposta integrada e capaz de atuar junto dos migrantes sazonais, que atende aos fluxos migratórios e às dinâmicas locais.

Para Rosa Monteiro é preciso acolher, conferindo-lhes condições de trabalho e vida, quem também contribui para as economias locais, valorizando a diversidade e neste contexto saudou as duas iniciativas da Rota do Guadiana, por darem resposta a estes pressupostos.

António Moita, presidente da Junta de Freguesia de Pias, localidade que, derivado do regadio do Alqueva, recebe muita população migrante, disse acreditar que se possa conseguir fazer deste CLAIM um modelo exemplar, e de sucesso, no acolhimento de migrantes. Aproveitando a presença da secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna, António Moita pediu um aumento dos efetivos da GNR para responder às necessidades de segurança das gentes locais e de quem chega a este território.

Recorde-se que foi no âmbito do Contrato Local de Segurança de Serpa que se realizaram estas duas iniciativas desenvolvidas pela Rota do Guadiana – ADI e que os dois projetos que agora se iniciam são apoiados pelo Ministério da Administração Interna, Alto Comissariado para as Migrações, Câmara Municipal de Serpa e Junta de Freguesia de Pias.


Comente esta notícia