agricultura familiar
A CNA-Confederação Nacional da Agricultura afirma, em nota de imprensa, que a PAC 2014-2020, aprovada recentemente no Parlamento Europeu, é má para Portugal.

Segundo a CNA pela primeira vez, é reduzido o Orçamento Comunitário destinado à próxima PAC com menos 7% comparativamente com a PAC 2007-2013.

Para a CNA a nova PAC aprofunda o que de pior já vem das anteriores edições e continua a obedecer aos interesses das multinacionais e de outras grandes empresas do negócio agro-alimentar e da especulação internacional. Segundo a CNA, a nova PAC obedece aos interesses dos maiores proprietários e das mais intensivas explorações.

Joaquim Manuel, dirigente da CNA, afirma que as explorações agrícolas familiares, responsáveis por milhares de postos de trabalho, vão sair ainda mais prejudicadas com a nova PAC que só serve para mais uma vez "encher os bolsos" dos grandes proprietários. Joaquim Manuel considera ainda que a nova PAC é uma derrota não é vitória como os "nossos" governantes têm apontado.

Ainda de acordo com Joaquim Manuel a nova PAC vai contribuir ainda mais para o desaparecimento de muitas explorações e embora o governo ainda tenha "margem de manobra" não acredita que tome alguma iniciativa devido aos interesses instalados e aponta o exemplo de Alqueva.

Comente esta notícia