Sentir Alentejo

A encerrar o Projeto Cidadania e Território - Desenvolvimento Local Sustentado, desenvolvido por uma parceria envolvendo a ACERT (Tondela), a Rumo (Barreiro), a Terras Dentro (Alcáçovas) e Rota do Guadiana (Serpa) realizou-se em Lisboa no Instituto de Ciências Sociais um colóquio para a apresentação do documento Políticas Públicas Territoriais Participadas - Reflexões e Recomendações, produzido no quadro do referido projeto.

Daquela realização saiu a conclusão de que o acordo na criação a nível governamental de um interlocutor único de todos os atores do desenvolvimento local e territorial, que funcione em simultâneo como coordenador das políticas públicas territoriais é fundamental.

Outros pontos de convergência entre as três organizações presentes verificaram-se em torno das recomendações constantes do documento de trabalho que deu origem ao colóquio, nomeadamente na definição e concretização de políticas públicas territoriais que não se esgotem nos tempos e lógicas dos programas comunitários; a necessidade de que todas as políticas sectoriais e temáticas sejam territorializadas, o que implica que na sua conceção sejam objeto de "filtragem territorial" e a Importância decisiva de um "Programa para Cooperação & Inovação de Intervenções Territoriais", aberto às organizações de desenvolvimento local e territorial.

Nesta realização, a coordenadora da Unidade de Missão para a Valorização do Interior (UMVI), Helena Freitas, agradeceu os contributos expressos durante o colóquio e reafirmou a importância das organizações presentes para a construção do Programa para a Coesão Territorial que está encarregue de apresentar até ao final de julho. Helena Freitas sublinhou ainda a sua disponibilidade para recomendar nesse plano, a continuidade dos trabalhos de levantamento e perspetivas de ação para além do mês de julho. 


Comente esta notícia