Conferência Arqueologia

A partir do registo arqueológico, vão discutir-se "as práticas funerárias, os gestos, as arquiteturas e os objetos ligados à Morte, no 4º e 3º milénios a.C., no Sul de Portugal, refletindo sobre a centralidade crescente do universo funerário - nas suas múltiplas componentes - no processo de organização social das comunidades neolíticas e calcolíticas", refere a nota de imprensa.

A reflexão vai abordar elementos que permitem "reconstruir o complexo papel da Morte e o papel ativo que os mortos possuem nas dinâmicas sociais", durante este período, tais como, "o investimento efetivo realizado na construção, uso, transformação dos monumentos megalíticos, os objetos que denunciam protagonismo social, os materiais que refletem uma complexidade simbólica crescente" e "a manipulação intensa dos restos humanos".

Esta iniciativa está integrada no ciclo expositivo "Sob a Terra e as Águas - Porque há sempre novas histórias a contar?". Assim, no dia de hoje, será, também, inaugurada a exposição de arqueologia, "Olhar o mundo há 5000 anos", uma organização da EDIA, Câmara Municipal de Beja e Direção Regional de Cultura, com o apoio da Associação de Defesa do Património de Beja.


Comente esta notícia