JOÃO RAMOS DEPUTADO DO PCP POR BEJA

Em declarações à Voz da Planície, o parlamentar referiu que de acordo com as informações que obteve, existem alguns casos em que a entidade patronal ou as estruturas de contratação retêm os documentos dos imigrantes e há alguns problemas de pagamentos de salários.

O deputado comunista disse também que a Segurança Social não está a apoiar a repatriação das pessoas com dificuldades, o que está a fazer com que situações complicadas se mantenham, considera que é necessário compreender o fenómeno da imigração e a sua relação com o trabalho agrícola e que Alqueva pode dar um contributo importante em termos de dinâmica social e económica, assim como para a resolução dos problemas de desemprego.

João Ramos esteve também no Centro Social, Cultural e Recreativo do Bairro da Esperança, em Beja, para conhecer o trabalho que a instituição desenvolve e constatou que a mesma lida com fragilidades decorrentes da falta de financiamento adequado.

Amareleja também esteve na agenda do deputado comunista desta segunda-feira, localidade do concelho de Moura onde participou numa sessão sobre encerramento de serviços públicos.

João Ramos recordou que Amareleja passou a ver o seu posto da GNR a funcionar em horário administrativo, que o concelho onde está inserida tem carências ao nível da saúde e que nesse contexto foi feita aquela sessão com o objectivo de dar a conhecer a posição do PCP sobre as matérias em causa.


Comente esta notícia