agrupamento escolas Colos

O Conselho Municipal de Educação analisou a situação do início do novo ano escolar nas escolas do concelho, constatou que permanecem situações de atraso e problemas e considerou importante fazer alguns esclarecimentos. O primeiro refere que a Câmara Municipal assegura que todas as suas responsabilidades foram garantidas conforme as suas competências, com qualidade, fornecimento das mais de 25.000 refeições/mês, nos 14 estabelecimentos escolares do concelho, com os recursos humanos da sua responsabilidade da autarquia e com esforços conjugados com as próprias juntas de freguesia, excedendo as suas obrigações.

O documento prossegue frisando que no que respeita à colocação de professores e técnicos - recursos humanos de apoio à docência - assistentes operacionais ou técnicos especializados para apoio, designadamente a alunos de Necessidade Educativas Especiais, existe carência de horas em Fisioterapia, Psicomotricidade, Terapeuta da fala, Psicólogo e docente de Educação Especial. Acrescenta que esta é uma situação problemática, recorrente e que impõe uma assunção e postura de resposta que se exige célere, pois está-se a falar de crianças e do cumprimento da lei.

Os problemas identificados no Conselho Municipal de Educação foram reportados à Voz da Planície pelo vereador Vítor Picado.

Nesta tomada de posição, o Conselho Municipal de Educação valoriza contudo, os resultados positivos globalmente considerados ao nível do ensino nas escolas do concelho, no aproveitamento dos alunos, nas provas comparadas com as médias nacionais.


Comente esta notícia