Médicos e enfermeiros

A Voz da Planície ouviu, sobre esta matéria, os dois deputados eleitos por Beja: Telma Guerreiro, do PS e João Dias, do PCP, que integram a Comissão Parlamentar da Saúde.

A deputada do PS, Telma Guerreiro, recordou que “na anterior legislatura foi dado um sinal, por parte do Governo, de aumentar os trabalhadores do Serviço Nacional de Saúde (SNS)” e que “é preciso deixar perceber o que pode acontecer”, referindo-se ao despacho em causa. Para Telma Guerreiro “é importante que a tutela tenha esta visão mais geral dos recursos humanos, ao nível da saúde”, e diz acreditar que “isto pode ser uma vantagem para a região”. A deputada do PS confia que “esta medida pode fazer uma distribuição mais igualitária pelo território nacional dos recursos e das necessidades dos recursos”.

O deputado do PCP, João Dias, diz que “este despacho confirma as preocupações” do seu partido, porque “cria barreiras e obstáculos às contratações de profissionais na área da saúde, ao nível dos serviços públicos”. “Devia lutar-se sim”, frisa João Dias, “pela autonomia das administrações”. “Limitando”, acrescentou, “as decisões ao nível da tutela, a situação atual no distrito tende a agravar-se”. Para o deputado do PCP “este despacho limita a contratação de duas formas: no número e no cabimento orçamental”. Neste contexto avançou que vai intervir, em audição regimental, questionando a ministra da Saúde, porque, nas suas palavras, “tem de haver resposta para as contratações no distrito”.


Comente esta notícia