Comboio Beja

O Alentejo é uma das regiões onde a situação é grave, uma vez que as supressões de comboios este ano têm sido quase diárias, e se por vezes a CP substitui os comboios suprimidos por autocarros, são frequentes os casos de passageiros que ficam nas estações e apeadeiros, sem qualquer informação, à espera de um transporte que não chega.

Segundo o Público, no próximo mês de Agosto, a CP-Comboios de Portugal vai reformular os horários, o que passará inevitavelmente por uma redução da oferta, com menos comboios em praticamente todas as linhas e serviços.

Para além dos atrasos e dos comboios suprimidos, o Público destaca ainda a degradação do material circulante com portas que não funcionam, casas de banhos avariadas, carruagens grafitadas, vidros sujos, assentos danificados ou lâmpadas fundidas.



Comente esta notícia

Quando abrir falência entreguem aos espanhóis que eles fazem a empresa lucrar. to zei

antonio ze

12/07/2018