Rio Mira

O diagnóstico teve como princípios metodológicos a realização das ações de levantamento, análise e avaliação de informação institucional e atualizada sobre o rio e o território envolvente, as atividades aí praticadas e a identificação dos agentes envolvidos; o reconhecimento do território, através de trabalho de campo para identificação da situação existente, por observação e registo das características do rio Mira e respetiva envolvente territorial; e auscultação de um conjunto significativo de entidades e instituições locais, de cariz público e privado, como stakeholders chave deste projeto.

Neste processo foram consultadas 40 entidades-chave com atuação direta ou indireta no rio Mira, havendo ainda um conjunto de entidades relevantes a consultar. Os elementos de reflexão apresentados no contexto dos encontros com as entidades serão base essencial de suporte à formulação da proposta a considerar no Plano Estratégico e Operacional de Valorização do Rio Mira.

A elaboração do Plano inclui cinco fases: (1) Metodologia, (2) Diagnóstico do Potencial de Desenvolvimento, (3) Modelo de Valorização Estratégica, (4) Programa de Ação e (5) Plano de Investimento, Financiamento e Marketing Territorial.

Pretende-se que o Plano constitua os alicerces para que este território seja cada vez mais uma região preparada para responder aos desafios do desenvolvimento sustentável, consolidando um caminho suportado nos princípios da equidade e da coesão territorial.

O trabalho foi iniciado em maio de 2018 e deverá estar concluído em maio de 2019. A equipa técnica que tem a cargo a elaboração do plano resulta de uma parceria entre as empresas Ecosativa (Vila Nova de Milfontes) e We Consultants (Lisboa).


Comente esta notícia