Hospital de Beja

O encerramento de camas no Hospital de Beja é mais um ataque ao Serviço Nacional de Saúde (SNS) e numa região como esta, carenciada de serviços de saúde, esta medida agrava a situação, principalmente se tivermos em conta que o rácio de camas hospitalares/ habitante no distrito é de cerca de metade da média nacional. As declarações são de Telo Faria, delegado distrital do SMZS, que acrescentou que a medida anunciada pelo Governo já levou ao encerramento das 16 camas do serviço de oncologia e à consequente distribuição por outras especialidades.

Para Telo Faria outra das consequências do corte de camas é a perda de idoneidade de formação de novos especialistas e, por via disso, não permitir uma maior capacidade de fixação de médicos em Beja. O delegado distrital do SMZS lembrou também que a decisão dos serviços visados cabe à Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo e revelou que todos os directores de serviço do Hospital de Beja, nomeados pelo Conselho de Administração, se mostraram contra esta medida.

Tudo isto leva o SMZS a apelar à mobilização em defesa do Hospital de Beja e do seu insubstituível papel numa zona tão carente de meios assistenciais, frisou, igualmente, Telo Faria.


Comente esta notícia