Juíz José Lucio

Os juízes colocados na Comarca de Beja já tomaram posse e na cerimónia, realizada no dia de ontem, o juiz presidente José Lúcio pediu a todos que abracem o desafio que esta reorganização significa. Enalteceu também, o esforço gigantesco, na operação logística levada a efeito, de transferência de processos e mobiliário para a Comarca de Beja, frisando que por motivos alheios, a mesma teve início dois meses mais tarde, mas que mesmo assim, foi possível cumprir os objectivos apontados.

O juiz presidente da Comarca de Beja recordou ainda, que os juízes administram a Justiça em nome do povo, chamando a atenção para o facto, do soberano ser o povo e que é para o servir que existem tribunais e juízes. Uma nobre concepção de servir que deve impregnar a acção e estar presente no dia-a-dia dos juízes frisou José Lúcio.

A juíza Ana Batista falou em nome de todos os juízes que foram empossados na Comarca de Beja. Na sua prelecção referiu que existem processos espalhados por tudo quanto é sítio, que não há funcionários suficientes, que há magistrados a partilhar gabinetes e que o Tribunal de Família funciona em Ferreira do Alentejo. No fim, afirmou que os tempos que se avizinham não são fáceis, que os primeiros meses serão os mais complicados e apelou à frontalidade e vontade necessárias, entre órgãos de gestão, magistrados e funcionários, para que possam ser encontradas as soluções de administração da Justiça.

Recorde-se, igualmente, que no Litoral alentejano, os concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém e Sines ficaram sob a alçada da Comarca de Setúbal, enquanto Odemira transitou para a de Beja.


Comente esta notícia