Partido Comunista Português

Segundo a DORBE, o que estava em causa, e continua a estar, é a “conservação de um Estado centralista e burocraticamente ineficaz, que mais longe está dos interesses e da intervenção dos cidadãos” ou pelo contrário, a construção de “um Estado que possa vir a ser um sólido contributo para o desenvolvimento, para a democracia e para a real descentralização da administração do País”.

Para os comunistas, “PS e PSD que, sozinhos, juntos ou acompanhados, governam Portugal há mais de quatro décadas e que têm a responsabilidade política de concretizar a regionalização, continuam a ignorar esse imperativo constitucional que, a concretizar-se, contribuirá para um País mais desenvolvido e menos desigual”.

Bernardo Loff, da DORBE do PCP, destaca a “coincidência” dos 20 anos do referendo e a descentralização que está a ser “imposta” pelo Governo.

Ainda segundo, Bernardo Loff embora não esteja na agenda do Governo, a “regionalização” é um assunto que deve estar em cima da mesa.



Comente esta notícia