Partido Comunista Português

A instabilidade que carateriza os anteriores anos letivos e, também, o atual, é causada, de acordo com a Direção Regional do Alentejo do PCP, pela "redução do investimento público no sistema educativo", resultante de "décadas de política de direita e que o governo PS mantêm".

Segundo a nota de imprensa, para fazer face às "carências sérias e profundas" que grande parte das escolas da região atravessam, nomeadamente, no campo dos recursos humanos, o PCP lança até ao final do mês de fevereiro, esta campanha, que prevê "ações de contato com os trabalhadores junto às escolas, distribuição de documentos, reuniões com diversas entidades" do setor educativo.

Resolver as carências permanentes de pessoal, através da contratação de funcionários e professores, dotar as escolas públicas com os meios e condições que necessitem e a promoção de uma política educativa são algumas das medidas que o PCP defende.

Inserida nesta campanha, uma delegação da DORBE, composta por João Ramos, João Dias e António Zacarias reúne-se, esta manhã, com a Direção Regional de Beja do STAL e com a SPZSul. 


Comente esta notícia