Miguel Guimarães

Em entrevista à Voz da Planície, o Bastonário da Ordem dos Médicos diz que os especialistas continuam à espera de ser colocados, que esta situação afeta sobretudo, os locais onde há mais carências, como é o caso de Beja, porque a tutela não está a cumprir as leis da contratação e acusa o Governo de não ter “respeito” pelas pessoas.

Miguel Guimarães frisa que a política de contratação está errada, esclarece o impacto que esta questão tem na região e afirma que é “preciso dar prioridade aos hospitais periféricos”.

O Bastonário da Ordem dos Médicos afirmou, igualmente, que Beja tem grandes carências de especialistas e que é imperativo resolvê-las rapidamente, explicando como. Entre o que considera fundamental identificou a necessidade de novas instalações e de equipamentos para o exercício da atividade profissional como fundamentais.

O Interior tem grandes dificuldades em fixar especialistas e Miguel Guimarães refere que são precisos incentivos, mas não os tradicionais. Avançou que o investimento não pode ser feito apenas ao nível da saúde e que tem de passar também, por outras áreas, como a sociedade e a cultura. Prosseguiu, relevando a importância das medidas apontadas recentemente pelo Governo, mas assegura que não chegam e sugere a introdução de mais dias de férias, apoio efetivo na formação e a possibilidade dos especialistas terem um projeto, com acesso à investigação, para permanecerem nos locais.

O Bastonário da Ordem dos Médicos termina revelando que só quando houver abertura de concursos para os especialistas que terminam a sua formação, como é o caso da ULSBA, para o seu Hospital e centros de saúde é que a ordem das coisas se vai alterar, caso contrário, frisou, o Interior nunca se irá desenvolver.

A Voz da Planície está de regresso aos grandes debates, quer saber qual é “O Estado da Saúde na Região” e vai debater esta matéria, no dia 15 de março, a partir das 17.30 horas, na Cafetaria do Pax Julia – Teatro Municipal de Beja, com médicos, enfermeiros e decisores políticos. E porque a saúde é um fator fundamental para o desenvolvimento este vai ser um debate aberto ao público, e com transmissão em direto, onde todos podem participar.


Comente esta notícia