setembro amarelo

A ARIS - Associação de Reabilitação e Integração Social da Pessoa com Experiência de Doença Mental, responsável pela programação das atividades “setembro amarelo”, preparou para esta semana duas atividades dirigidas a jornalistas e a primeira, o colóquio realizado ontem, sobre o tema “Noticiar o Suicídio”, terminou com um balanço “excelente” e com a certeza de que “é preciso mais colaboração entre os profissionais de saúde mental e os jornalistas, para que possa existir também, mais informação sobre a matéria”. As declarações são de Ana Matos Pires, presidente da Direção da ARIS e diretora do Serviço de Psiquiatria da ULSBA.

Ana Matos Pires frisou mesmo, “que é preciso que as entidades relacionadas com a saúde mental procurem informação de qualidade, porque não vale a pena informar mal”.

Por se considerar que os órgãos de comunicação social têm um papel particularmente importante na prevenção do suicídio, podendo através da sua atuação potenciar ou enfraquecer os esforços nesse sentido, o “setembro amarelo” preparou duas iniciativas, dirigidas a jornalistas. A primeira realizou-se ontem e a segunda é já nesta quinta-feira, dia 13. Esta segunda iniciativa consiste na realização de uma oficina de trabalho sobre “Comunicação em/de Saúde Mental”, das 10.00 horas às 12.30 horas, no Pax Julia – Teatro Municipal de Beja e conta com as participações de Lúcio Silva, da ULSBA, de António Granado, da Faculdade de Ciências da Universidade Nova de Lisboa, de Joana Lobo Antunes, do Instituto de Tecnologia Química e Biológica, da Universidade Nova de Lisboa e de João Gaspar, da Rede de Comunicação de Ciência e Tecnologia de Portugal. 


Comente esta notícia