Foto automotora

Ruídos permanentes, falta de climatização que provoca temperaturas elevadíssimas ou insuportavelmente baixas, quer seja verão ou inverno e impossibilidade de olhar para o exterior são apenas algumas das muitas reclamações que se podem fazer sobre a automotora que garante o trajeto Casa Branca - Beja e vice versa, assegura Florival Baiôa, do Beja Merece+, frisando que os atrasos rondam, em média, 01.20 horas. Para Florival Baiôa manter esta situação faz parte da estratégia da CP para terminar com a ligação ferroviária a Beja e exorta à reclamação para contrariar esta possibilidade.

Florival Baiôa explica também, que todas as reclamações devem ser feitas no site da Internet da CP, esclarece como e afirma que só assim se pode fazer ouvir a voz de quem exige respeito e condições idênticas a todos os outros utentes dos Comboios de Portugal.

Florival Baiôa avançou ainda, que o caminho a seguir é começar a encaminhar as reclamações para o ministro do Planeamento e das Infraestruturas e recordou que no plano ferroviário traçado até 2020 há dinheiro para investir, mas que a eletrificação da ligação de Beja a Casa Branca não foi considerada prioritária. Disse, igualmente, que é preciso reclamar para nos darem ouvidos e para perceberem que a população está descontente com esta situação.

Um comboio com qualidade, comodidade e que proporcione aos cidadãos do distrito o mesmo tratamento que os restantes portugueses já usufruem em outras regiões do país são as exigências que todos devem fazer, frisou Florival Baiôa, do Beja Merece+.

Nota: Foto de Olga Sousa


Comente esta notícia