PlaCarvões

Actualmente 50% dos resíduos urbanos são refugo e rejeitados, na sua maioria plásticos não recicláveis, cujo destino final é o aterro ou a incineração.

O projecto PlaCarvões, co-financiado pelo Fundo Ambiental-Repensar os plásticos na economia: desenhar, usar, regenerar, decorreu durante o ano de 2018 e propõe uma solução de aplicação dos princípios da Economia Circular na cadeia de valor dos plásticos, com a valorização de resíduos de plásticos (plástico agrícola, plásticos descartáveis e fracção não valorizada dos RU) através da produção de carvões activados, podendo estes ser utilizados em tratamento de efluentes agro-industriais e urbanos em unidades de pequena a média dimensão, de base local e regional, tornando um resíduo num produto de elevado interesse económico e ambiental. Este projecto espelha a preocupação das entidades parceiras, EDIA, como proponente, CIMAC, GESAMB, Universidade de Évora, e da região, na busca e concretização de soluções para a problemática dos plásticos urbanos e agrícolas, numa perspectiva de Economia Circular e sustentabilidade.

Hoje a conferência de encerramento tem como objectivo a apresentação de resultados e perspectivas futuras de desenvolvimentos nesta área. No final é apresentada a exposição itinerante “Plastoceno|A Era do Plástico”, que tem estado a percorrer os municípios do Alentejo em acções de sensibilização para a redução/reutilização/reciclagem dos plásticos.



Comente esta notícia