Miguel Violante

Miguel Violante, da DORBE do PCP, começou por relevar o facto, de este ano ter ficado comprovado que o crescimento não se faz com políticas de cortes. Prosseguiu dizendo que esta é uma nova fase da política nacional em que o PCP muito contribuiu para a melhoria das condições de vida da população e neste contexto recordou duas medidas que o seu partido propôs, nomeadamente a gratuitidade dos manuais escolares, até ao 12º ano de escolaridade, e o pagamento do subsídio de Natal por inteiro aos reformados e pensionistas.

No plano regional, Miguel Violante deixou claro que em 2018 muita coisa ficou por fazer na região e frisou que a tese de que o Baixo Alentejo avança cada vez que o PS está no Governo não se verificou, recordando que ferrovia, rodovia e saúde continuam a não estar nas prioridades do Governo.

Miguel Violante fez, ainda, uma referência à luta que os trabalhadores da autarquia bejense têm desenvolvido para reaver os três dias de férias que continuam sem ter e outra, à 9ª Assembleia da Organização Regional de Beja, realizada em Cuba, que “em muito contribuiu para o reforço do partido na região.”

Em 2019, Miguel Violante garante que o PCP vai continuar a lutar, no plano nacional, pela melhoria das condições de vida das populações. No plano regional, Miguel Violante assegura que o seu partido vai continuar a fazer pressão para que os projetos estruturantes da região se concretizem, num ano que se prevê exigente e de eleições Europeias e Legislativas.

Nesta sexta-feira demos voz à DORBE do PCP. Segunda-feira fazemos o balanço de 2018 e perspetivamos 2019 com a Federação do Baixo Alentejo do PS.


Comente esta notícia