Pedro do Carmo Foto

Houve um grupo de trabalho, com elementos da concelhia, entre eles, João Sardica, que elaborou um diagnóstico sobre o estado da saúde no distrito, em conjunto com o deputado socialista Luís Pita Ameixa, e que identificou o que chamou de principais problemas, com que se depara a população do distrito.

Tempo de espera excessivo nas urgências, inexistência de cuidados de saúde primários suficientes, que consigam assegurar os diagnósticos precoces, carência de médicos de família, elevado número de idosos de lares no serviço de urgências, porque os médicos assistentes destas instituições não podem prescrever diagnósticos, equipamentos auxiliares de diagnóstico obsoletos, outros avariados por longos períodos, não há unidade de ressonância magnética e não há investimento numa rede de estruturas de retaguarda. Estas foram algumas das situações apontadas.

Luís Pita Ameixa, deputado do PS, com responsabilidades no acompanhamento das questões da saúde, acrescentou outras falhas, entre elas, equipamentos que não são comprados por falta de verba e que obrigam os utentes a fazer determinados exames fora de Beja ou a recorrer a privados.

Posto isto, Pedro do Carmo, presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS, afirmou que o balanço diz que o Serviço Nacional de Saúde no distrito está em risco e que o Hospital de Beja está a ser esvaziado de valências e competências, estando em marcha o seu desmembramento.

A Voz da Planície pediu ao Conselho de Administração da ULSBA uma reação sobre as matérias em causa e aguarda uma reação deste órgão ao longo da jornada informativa de hoje.


Comente esta notícia