Saúde bata médico

Perante esta situação, o PCP de Aljustrel, diz que é notória a necessidade de uma maior aposta nos cuidados de saúde primários, por forma a que o Serviço Nacional de Saúde responda mais eficazmente às necessidades dos portugueses, aliviando simultaneamente as urgências hospitalares. Acrescenta que a população da freguesia de Ervidel viu-se privada de assistência médica, durante toda a semana, só voltando a reabrir a extensão de saúde na segunda-feira, situação que obriga a quem necessita deste serviço, a uma deslocação a Aljustrel, e caso não consiga vaga, a Beja ou Castro Verde, com todos os incómodos que esta situação acarreta. As declarações são de Manuel Nobre, da Comissão Concelhia de Aljustrel do PCP, que exige que seja reposta a normalidade deste serviço a que a população de Ervidel tem direito.

A Voz da Planície contactou a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) para obter explicações sobre o sucedido e esta entidade esclareceu que o médico da Extensão de Saúde de Aljustrel pediu para se ausentar dois dias, que a mesma esteve sem este serviço, apenas na quarta e quinta-feira, porque nesta sexta-feira "não há horário médico e está encerrada, como habitualmente, durante o fim-de-semana, voltando à normalidade na segunda".


Comente esta notícia