Coral de Castro Verde

Junta tradição e modernidade. Coloca, lado a lado, mantas de lã feitas em teares tradicionais e tecnologia de última geração. É palco das vozes do cante que identificam as raízes do Alentejo e dos sons que se experimentam hoje à procura do futuro. Realiza-se sempre ao terceiro fim-de-semana de Outubro. Falamos da secular Feira de Castro que este sábado e domingo é motivo de romagem a terras do Campo Branco. 

A par da animação da própria feira e dos aromas dos frutos secos, que se estendem pelas principais artérias da vila, a Feira de Castro conta com um programa cultural que tem por objectivo valorizar a tradição e o património oral da região. Durante estes dias, o cante alentejano, a viola campaniça e o cante ao baldão assumem especial destaque em iniciativas como "A Planície a Cantar" ou o "XXIII Encontro de Tocadores de Viola Campaniça e Cantadores de Despique e Baldão\", que outrora aconteciam de forma espontânea no decorrer da feira, conforme nos descreve o vereador Paulo Nascimento.

O fim-de-semana da Feira de Castro é antecipado com iniciativas previstas para hoje à noite. Um espectáculo no palco do Cineteatro Municipal de Castro Verde, a partir das 21h30, contará com as actuações do Grupo de Música Tradicional "Cantigas do Baú" e coloca lado a lado "As Camponesas", de Castro Verde,  e o grupo algarvio de Acordeonistas "Foles do Sul". O objectivo, como prossegue Paulo Nascimento, é realçar os laços entre o Alentejo e o Algarve.

Desfile de bandas filarmónicas e encontro de grupos corais durante o dia de sábado e actuação, à noite, da banda bejense "Virgem Suta" são outras das iniciativas culturais que animam a Feira de Castro neste fim-de-semana.


Comente esta notícia