Marcelo Ourique
A mostra, promovida pela Câmara Municipal de Ourique e pela ACPA-Associação de Criadores de Porco Alentejano, conta com a participação de Portel-Capital do Montado como município convidado.

A par da oferta lúdica, que atrai milhares de visitantes à Feira, realizam-se também as tradicionais jornadas técnicas no quadro do Seminário da ACPA, este ano sob o tema dos "Desafios do Porco Alentejano", uma oportunidade para sublinhar e debater os desafios, os riscos e as oportunidades da fileira. A Feira do Porco Alentejano conseguiu consolidar-se ao longo das várias edições, mas, em 2017, procura atingir um novo patamar de qualidade.

Marcelo Guerreiro, presidente da autarquia ouriquense, afirma que este é acima de tudo um grande momento de afirmação de Ourique como capital do Porco Alentejano.

Do ponto de vista institucional, os pontos altos são vividos, na 5ªfeira, com a presença da Comissão Parlamentar de Agricultura e Mar, e na 6ªfeira, o ministro da Agricultura, Capoulas Santos, participa no seminário da ACPA, este ano sob o tema "Desafios do Porco Alentejano". Marcelo Guerreiro considera que são momentos importantes para falar e debater os desafios, os problemas e as oportunidades da fileira.

Fruto da estratégia desenvolvida ao longo da última década, a fileira do porco alentejano é hoje uma referência regional, um pilar importante da economia local e um dos sectores que contribuem para o aumento das exportações nacionais, com a procura permanente de novos mercados.

Os espectáculos são também ponto alto do evento, esta edição de 2017, apresenta, na 6ªfeira, Sangre Ibérico e Ala dos Namorados, no sábado, Miguel Araújo.


Comente esta notícia