GREVES

Até ao dia 31 deste mês continuam as greves sectoriais dos registos e notariado, dos educadores de infância e ensino básico e secundário, à componente não letiva, dos trabalhadores dos hospitais E.P.E., enfermeiros, técnicos de diagnóstico e terapêutica, guardas prisionais, até 6 de Janeiro, funcionários judiciais e bombeiros de 23 autarquias.

Comparando com igual período do ano passado verifica-se um aumento significativo do número de greves, que muitos consideram estar relacionado com o facto, de depois de “um período longo de restrições”, as pessoas terem “agora expectativas de melhorias nas suas condições de trabalho”.


Comente esta notícia