José António Falcão

O Bispo de Beja extinguiu por decreto, com data de 20 de abril de 2017, o Departamento do Património Histórico e Artístico (DPHA) da Diocese e praticamente um ano depois, José António Falcão, que o dirigia, explicou, em entrevista à Voz da Planície/Diário do Alentejo que é preciso ver o que se segue e que, na sua opinião, a obra realizada na Sé Catedral da capital de distrito não influenciou esta decisão.

Quando foi questionado sobre o facto da extinção daquele Departamento ter colocado em causa, o trabalho de inventariação do património da Diocese, José António Falcão respondeu assegurando que esse trabalho ficou feito e que está disponível para consulta.

Nesta entrevista, José António Falcão deixou claro também, que a continuidade do Terras sem Sombra não poderia ser colocada em causa porque o Festival ultrapassou, desde o início, o território da Diocese de Beja e tem como patronos a Associação Pedra Angular.

Uma entrevista para ouvir, esta tarde, a partir das 18.00 horas, na Voz da Planície e ler na edição desta semana, do Diário do Alentejo.


Comente esta notícia

Uma belíssima entrevista, bem conduzida e com resposta muito interessantes. Apreciei a serenidade e a objectividade do Prof. José António Falcão, figura de relevo da cultura nacional.

Margarida Ventura

01/03/2018