retirada amianto

De acordo com o documento em 2.015 edifícios, instalações e equipamentos públicos, o que equivale a 16%, há a possibilidade de existir amianto.

Nos restantes 10.929, ou seja, 84%, não foi detectada a presença daquela substância potencialmente cancerígena.

O ministério da Educação é aquele que tem maior número de instalações onde há suspeita de amianto, no total são 813 edifícios, 37% do total.

Manuel Nobre, presidente do Sindicato de Professores da Zona Sul, começa por recordar que há já muito tempo que esta estrutura sindical vem alertando para esta situação.

Ainda segundo Manuel Nobre depois da divulgação desta lista há ouros passos que têm que ser dados pelo Ministério da Educação.

O SPZS recorda que nesta região há vários estabelecimentos de ensino com vestígios de amianto.


Comente esta notícia