Médicos

Esta iniciativa que colocou no distrito os 12 parlamentares que integram a Comissão de Saúde, para conhecerem a realidade da região, foi proposta e preparada pelo grupo parlamentar do PCP e o balanço foi efetuado, por decisão do presidente da Comissão, pelos três deputados eleitos pelo circulo eleitoral de Beja.

João Dias, deputado do PCP, começou por relevar a dedicação de todos os profissionais, dizendo que são eles, com todas as dificuldades sentidas, quem garante a prestação de cuidados de saúde à população. Mas a grande preocupação de João Dias foi para os perigos que alguns serviços correm de fechar se não se conseguir fixar médicos e deixou exemplos, entre eles o de pediatria.

João Dias falou, também, do caso do Centro de Saúde de Aljustrel, porque dentro de dois a três anos, mais de metade dos médicos existentes atinge a idade da reforma.

Pedro do Carmo, deputado do PS, destacou, igualmente, a dedicação de todos os profissionais de saúde e reconheceu que existem constrangimentos financeiros que não deixam resolver as dificuldades. Pedro do Carmo defende que o Hospital José Joaquim Fernandes deve ser melhorado e que deve ser feito um redirecionamento de casos de saúde no Baixo Alentejo. O deputado explica que deve haver umas valências no Hospital de Beja, outras no do Litoral e outras no Central.

Nilza de Sena, deputada do PSD, fez um balanço pessimista e apontou o dedo ao estado em que encontrou alguns serviços, assim como à “gritante” falta de especialistas e de equipamentos. Nilza de Sena recordou que faltam 70 médicos na ULSBA para garantir a qualidade dos serviços, que a média etária ronda os 55 anos e que até 2022, quase 50% dos profissionais vai atingir a idade da reforma. Frisou que é preciso mais médicos, assim como enfermeiros e assistentes operacionais.

A deputada do PSD falou ainda, do facto de nesta legislatura não ter havido investimento na requalificação de centros de saúde no Baixo Alentejo, estando apenas em marcha os casos de Vidigueira e Ourique e disse que não é contra o Hospital Central, mas que é preciso garantir que o de Beja não perde valências.

Os deputados levaram muita matéria para trabalhar e para lutar por melhores condições de saúde no distrito fez questão de dizer o deputado do PCP, João Dias, no encerramento destes dois dias de visita da Comissão Parlamentar de Saúde ao distrito.


Comente esta notícia