IP8 e AEROPORTO DE BEJA

O documento identifica 59 investimentos prioritários, a concretizar em todo o País, até 2020, no valor global de 6,067 milhões de euros.

A região recebe o seu montante dividido entre IP8, que é considerado prioritário, que tem um investimento de 15 milhões de euros, mas que só contempla o troço Santa Margarida do Sado/Beja, Aeroporto, que recebe 3 milhões de euros para o seu desenvolvimento, e a linha ferroviária do Sul, no Ramal de Neves Corvo, que é contemplado com 11 milhões de euros.

No sector marítimo/portuário, o Porto de Sines também foi considerado prioritário, com um montante de 139 milhões de euros.

A Voz da Planície já ouviu sobre esta matéria, os responsáveis regionais do PS, PSD e PCP.

Pedro do Carmo, presidente da Federação do Baixo Alentejo do PS, frisou que o Governo já habitou a região a esta estratégia, ou seja avança com decisões que não a contempla, numa primeira fase, para surgir depois com um sinal, para dizer que ouviu as pessoas. Pedro do Carmo fez este preambulo para dizer que os investimentos identificados nada representam e que isto só mostra que o Governo não é sério, que não faz propostas sérias, que não tem obras previstas para a região e principalmente, que não está a ter em atenções as populações do interior do País.

Mário Simões, presidente da Distrital de Beja do PSD, destacou pela positiva a evolução do documento inicial, em relação ao que vai esta semana para Bruxelas, frisando que os 59 projectos contemplados não carecem de financiamento comunitário e que isso, garante os 15 milhões de euros destinados ao IP8.

Para Mário Simões, este documento valoriza também os contributos regionais obtidos e refere-o, igualmente, como nota positiva. Deixa contudo, uma nota de preocupação para o sector ferroviário, recordando que o mesmo é estratégico para a região. Mário Simões pede ainda, sensibilidade a Bruxelas, no próximo quadro comunitário de apoio, no sentido de contemplar investimentos para a região nos sectores rodoviário e ferroviário.

Manuel Reis, da Direcção da Organização Regional de Beja (DORBE) do PCP, deixou a nota negativa de que o Governo tomou decisões sobre os investimentos prioritários que incluem a região, divulgou-as, mas não deu qualquer conhecimento das mesmas, aos deputados à Assembleia da República e que isso é lamentável.

Manuel Reis acrescentou que a ser verdade o que veio a público, apenas se contempla o IP8, desaparecendo todos os restantes possíveis investimentos na região. Frisou ainda, que o PCP não irá aceitar de ânimo-leve, esta situação.


Comente esta notícia

ha montes de tempo que deveria estar concluida construam porra

Antonio gonçalves

30/11/-0001