finanças

Em 2018, a entrega da declaração de IRS em papel deixou de estar disponível nas repartições de finanças, ou seja este é o primeiro ano em que a entrega tem que ser feita obrigatoriamente por via eletrónica. Quem não domina as ferramentas informáticas pode recorrer à ajuda do Atendimento Digital Assistido que, através de funcionários das finanças credenciados, ajuda os contribuintes a preencher a declaração por Internet. Este tipo de ajuda pode ser encontrada nalguns serviços de finanças, em câmaras municipais, lojas do cidadão e balcões de atendimento.

Pode também estar abrangido pelo IRS automático e é preciso verificar esta possibilidade. Retenha que só os contribuintes com rendimentos da categoria A, ou seja trabalhadores dependentes e/ou pensionistas, com ou sem dependentes, estão abrangidos por esta funcionalidade podendo sempre, confirmar a declaração preenchida automaticamente pelas finanças.

Depois de submeter a sua declaração de rendimentos pode fazer uma simulação no simulador oficial que está disponível no Portal das Finanças e ficar a saber se vai ter direito a reembolso ou ter de pagar imposto.

Este ano tal, tal como nos anteriores, pode consignar 0,5 por cento do seu IRS a uma instituição de solidariedade. A lista pode ser consultada no Portal das Finanças.


Comente esta notícia