PCP Baleizão

Aludindo às dificuldades que os trabalhadores viviam nos campos do Alentejo há 65 anos, Jerónimo de Sousa referiu que, hoje, continuam por cumprir salários dignos e outros aspetos fundamentais na vida da população do país. Neste contexto, realçou que a CDU é a força política que “está do lado certo”, porque quando se trata de fazer “opções de classe”, os outros partidos juntam-se contra os trabalhadores e a Coligação defende-os.

O secretário-geral do PCP falou em seguida da nova realidade política que o país vive e deixou claro, que nesta configuração governamental, apesar de se estar longe do desejado, pode dizer-se “com segurança” que “não há medidas positivas para os trabalhadores tomadas neste Governo que não tenham tido a intervenção da CDU”.

Jerónimo de Sousa afirmou, também, que se está a viver “um tempo de opções decisivas e de eleições” e que perante esta situação, o “reforço do voto na CDU” significa “a grande oportunidade para os trabalhadores”. Acrescentou que os “deputados da CDU no Parlamento Europeu são aqueles que defendem os direitos dos portugueses e a soberania nacional”.

Neste comício de homenagem a Catarina Eufémia participou, igualmente, João Dias, deputado eleito pelo distrito e candidato da CDU ao Parlamento Europeu. Frisando a importância das eleições europeias, João Dias disse que “votar na CDU é também uma ação de luta” e que “os deputados não são todos iguais”. 


Comente esta notícia

Galeria de fotos