Jerónimo de Sousa e João Dias

O secretário-geral do PCP frisou, em Beja, que “não há deputados eleitos antes que o povo vote” e que o seu partido foi capaz, em 2015, de avançar com uma solução que contribuiu “para a conquista” e “resposta aos problemas do país”, explicando que a diferença da atual legislatura “não está no Governo”, mas sim “na Assembleia da República” e “nas novas circunstâncias criadas e na força da CDU”. Desta forma, Jerónimo de Sousa explicou o quanto “é falsa a ideia de que as legislativas são eleições para primeiro-ministro”. Enumerando os diversos avanços alcançados, nas pensões de reforma, no pagamento por inteiro do Subsídio de Natal e noutros aspetos da vida das pessoas e das empresas, o secretário-geral do PCP referiu o que falta alcançar, por exemplo, no Programa Nacional da Política de Ordenamento do Território e neste contexto recordou o que não está contemplado para o distrito, nomeadamente a ampliação do Hospital, a ferrovia, a rede viária e a valorização do aeroporto.

Jerónimo de Sousa prosseguiu dizendo que quem confiou na CDU em 2015 sentiu que o seu voto foi respeitado e que se parte para este novo combate eleitoral com plena convicção de que a dedicação, o empenho e o entusiasmo com que João Dias desempenhou o seu papel na defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo e da região vai merecer um reforço na votação na Coligação, no dia 6 de outubro.

João Dias, o atual deputado e cabeça de lista da CDU, pelo distrito, nas legislativas 2019, começou por desmistificar a ideia de que a juventude está alheada da atividade partidária, frisando que não se pode olhar para os jovens apenas pelo seu voto, mas sim pela capacidade que têm de intervir, e participar, sabendo escolher o certo na defesa ativa dos seus interesses. Sobre o que foi possível conseguir para o distrito esclareceu que “os deputados não são todos iguais” e que o da CDU enfrentou uma dura batalha, na defesa dos interesses da região, provando, mesmo assim, que sempre esteve na linha da frente no trabalho desenvolvido. Ao povo cabe decidir, referiu João Dias, dizendo que o distrito elege três deputados e que a população vai saber escolher quem melhor os representa, reforçando, e confiando, o seu voto à CDU, nas legislativas 2019.

Neste ato público, também, falou Joaquim Correia, do Partido Ecologista “Os Verdes”, relevando o empenho no projeto da CDU, por ser aquele que dá voz ao povo e que defende as políticas certas para o desenvolvimento do país. Terminou o seu discurso pedindo um reforço significativo da votação na CDU, no dia 6 de outubro.


Comente esta notícia

Galeria de fotos