Inauguração sede PSD Beja

O candidato à presidência da Câmara de Beja, pelo PSD e CDS-PP, que se faz acompanhar por Mário Caimoto, Hélia Fonseca, Fausto Barata e António João Oliveira, considera que tem faltado a vontade de quem tem governado para devolver o orgulho ao concelho e de trabalhar para transformar a capital de distrito numa grande cidade. João Pedro Caeiro acredita na vitória e quer "Mais Beja", numa candidatura que será sempre para "somar", quer seja eleito presidente ou vereador.

José António Falcão, o cabeça de lista à Assembleia Municipal, que tem na sua equipa nomes como o de Luís Dargent, Fernanda Pereira e João Espinho, assegura que é preciso colocar Beja no mapa, conseguindo uma posição inclusiva em torno de um projecto comum. Acrescentou que a candidatura a Beja do PSD e do CDS-PP não é para fazer figura, mas sim profunda, que dá atenção a temas cruciais como a cultura, o turismo, o mundo rural, a inclusão social, a saúde e a qualidade de vida. Aludindo ao cansaço que diz sentir a população às estratégias que tem sido implementadas até à data e aos seus protagonistas considera que essa situação não vai passar em claro aos eleitores.

O presidente da Distrital Laranja frisou que os eleitores vão ter de decidir se querem mais do mesmo, regressar a um passado recente que nada acrescenta ou se querem alguém novo que sente a cidade como João Pedro Caeiro. Sobre os candidatos à Assembleia Municipal referiu que vão elevar o debate, pensando a cidade sem ataques e evitando o folclore e chicana política habitual. Neste contexto José António Falcão disse que Beja é hoje, uma pálida sombra do que foi, que é preciso ser-se fiel à cidade e que compete ao PSD e CDS-PP fazer a diferença, combatendo o individualismo, apaziguando guerras e trabalhando em prol do Município e do Alentejo, porque não há lugar nos nossos dias para grandes egoísmos.

Luís Dargent, presidente da distrital do CDS-PP, referiu que o mais importante não é chegar primeiro, nem ser o mais rápido, mas sim não deixar ninguém para trás e que é esse o desejo que esta candidatura tem para Beja, o trabalho com e em prol de todos, num mandato para quatro anos e não para presidências de três meses.

Afirmação de Beja dentro e fora do Alentejo, no todo nacional foram palavras de ordem para a candidatura do PSD e CDS-PP a Beja que aposta também em Ana Rosa Soeiro para a União de Freguesias de S. João Baptista e Santiago Maior, em Fernanda Caimoto para a de Salvador e Santa Maria da Feira e Rui Barros para a de Beringel.


Comente esta notícia

Galeria de fotos