deputado joão ramos
O deputado do PCP, questionou o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, sobre problemas de acessibilidades, nomeadamente sobre o futuro do aeroporto de Beja, sobre a necessidade de investimento na ligação ferroviária a Beja e sobre a situação do IP2 e do IP8, que se mantém como "estaleiro de obra" há mais de quatro anos, não cumprindo as suas funções nem respondendo às necessidades do distrito.
João Ramos afirma que o ministro não deu qualquer resposta, por isso, foi já apresentada uma pergunta por escrito para que não se escuse a responder.

João Ramos questionou também o ministro da Agricultura, desta vez, sobre o alargamento das áreas de rega no projecto de Alqueva e se a EDIA será devidamente capitalizada para fazer face a estes projectos de alargamento, nomeadamente os cerca de 4000 hectares na Margem Esquerda do Guadiana. Segundo o deputado do PCP, o ministro Capoulas Santos informou que as verbas disponíveis para regadio no PDR2020 não cobrirão as intenções de alargamento, mas o Governo compromete-se a alargar a mais 45000 hectares de regadio e para tal, procura fontes de financiamento, que rondam cerca de 140 a 150 milhões de euros, que ainda não estão definidas.

Finalmente, João Ramos questionou a ministra da Administração Interna sobre a resolução dos problemas dos postos da GNR de Serpa e de Alvito, que têm más condições de habitabilidade e para os quais o anterior governo, em sede de discussão do orçamento para 2015, assumiu ter disponíveis 450 mil euros para cada um desde postos. A Secretária de Estado Adjunta e da Administração Interna informou que existem protocolos relativos a postos da GNR assinados com as autarquias que não têm qualquer validade e outros em que há discrepâncias nos valores das intervenções, pelo que têm de ser todos revistos.




Comente esta notícia