Fórum Energia e Clima

“O Fórum da Energia e Clima é uma organização da sociedade civil que juntou membros fundadores de todas as nações pertencentes à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) na promoção de um abraço fraterno da língua portuguesa na luta contra a Crise Climática”, segundo explica o comunicado enviado pela organização à Voz da Planície.

“Esta organização internacional junta representantes da sociedade civil de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, e em 2019, ano da sua constituição, desenhou e preparou a execução dos primeiros projetos em cada um destes Países”.

A sessão fundacional a realizar no auditório do Instituto Politécnico de Portalegre (IPP) contará com intervenções do membro fundador mais jovem, Francisco Veiga Simão, seguido de intervenção do presidente do Fórum da Energia e Clima, Ricardo Campos.  

A iniciativa conta, ainda, com as participações de Albano Silva, presidente do Instituto Politécnico de Portalegre, Roberto Grilo, presidente da CCDR Alentejo, Adelaide Teixeira, presidente da Câmara Municipal de Portalegre, Luís Moreira Testa, deputado da Assembleia Parlamentar da CPLP e de João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente e Ação Climática.

No fim da sessão terá lugar a plantação de uma pequena floresta urbana por pessoas de 45 nacionalidades que simbolizarão a importância da união entre os povos na luta pela vitória na Crise Climática.

Ao mesmo tempo a música da língua portuguesa irá, obrigatoriamente, fazer parte deste momento, estando confirmada a presença de Don Kikas de Angola; de Tonecas Prazeres de São Tomé e Príncipe; Mário Marta de Cabo Verde; Piki Pereira e Viola Mintó de Deus de Timor Leste; Charbel Pinto da Guiné Bissau; Konu de Moçambique, entre outros.


Comente esta notícia