mãos idosos

 “Os Lares em Portugal são instituições de restrito âmbito social”, frisa o documento, “não são unidades de saúde e não têm como missão, nem possuem condições para darem acompanhamento na situação de doença aguda, não sendo, pois, compreensível nem aceitável que o Estado queira deixar os doentes com Covid-19 nos lares, retirando os utentes que não estão infetados”.

 “O Governo”, diz a nota de imprensa, “veio agora claramente impor aos Lares a vigilância e tratamento de doentes com infecção COVID-19, sem definir a cobertura necessária de médicos enfermeiros e o fornecimento de EPIs”.

Vitor Igreja, em nome da União das IPSS do distrito de Beja, afirma que esta situação é acompanhada com enorme preocupação e reafirma a ideia que os lares não têm condições para receber e tratar os utentes com COVID 19.

Ainda segundo Vitor Igreja é necessário que as várias entidades possam sentar-se à mesma mesa para refletir e encontrar soluções para resolver este problema.

“Os números são claros em mostrar que temos conseguido manter a maioria dos Lares livres de COVID e vamos continuar esse esforço”, frisa a CNIS e a UMP esclarecendo que foi “criado um Gabinete Técnico composto por profissionais qualificados para apoio às Misericórdias e que vai ser alargado à CNIS”.


Comente esta notícia