Transiberiano

Trata-se de um livro inserido na valência de literatura de viagens, em que Luís Contente narra, na primeira pessoa, a mágica viagem num dos mais míticos comboios do planeta, o Transiberiano, que liga Pequim, na China, a Moscovo, na Rússia, numa distância de 10 mil quilómetros.

A apresentação está marcada para as 16.30 horas e Luís Contente disse, em conversa com a Voz da Planície sobre a sua obra, que em princípio um livro de viagens é uma experiência de vida, ou de viagem, um relato de alvo vivido e que o seu "Transiberiano" é isso mesmo, um testemunho de algo que viveu in loco.

O leitor entra na viagem desde a primeira página do livro, para viver os seus efeitos, a partir do olhar do autor, projectando na mesma, as suas próprias vivências é assim que Luís Contente descreve o seu livro frisando que quem o lê faz também uma viagem participada, que percorre as peripécias pelas terras e culturas míticas de um Oriente ainda fechado sobre si mesmo.

Luís Contente revelou também à nossa estação que já tem na calha mais duas propostas para livros de viagens, para fazer ao seu editor: "Austrália", que relata o percurso pela famosa estrada, de 3 mil quilómetros, que atravessa o continente e "O Caminho Inca", que fala do percurso de quatro dias, através das montanhas dos Andes, até chegar a Machu Picchu. Disse ainda, à nossa estação que o "Transiberiano" está bem classificado na literatura de viagens e que já ocupa um honroso 12º lugar, nas livrarias online, onde está disponível.

Luís Contente nasceu em Beja, em 1962, é professor de língua francesa numa escola do ensino básico, frequentou o mestrado em Literatura Medieval Comparada da Universidade Nova de Lisboa, fez uma especialização em gestão de bibliotecas escolares e integra o Clube de Leitura da Biblioteca Municipal da capital de distrito. 


Comente esta notícia