Ambulância

O 112 - Número Europeu de Emergência - centraliza numa única central os pedidos de socorro feitos quer por via da polícia, bombeiros ou saúde que depois acciona, de uma forma integrada, os meios necessários a cada ocorrência.

No caso concreto da saúde há já vários anos em que é sugerida a marcação directa do 112, embora muitas pessoas liguem habitualmente para os Bombeiros da sua zona de residência, quando ocorre uma emergência. O que, neste caso, parece mais perto, torna-se mais longe, ou seja, desde o dia 1 de Agosto que está em vigor uma nova directiva do Instituto Nacional de Emergência Médica em que não são aceites chamadas de alerta provenientes dos bombeiros sem antes passarem por um processo de triagem. A triagem é feita pelo Centro de Orientação de Doentes Urgentes do INEM. Com esta transferência de chamadas perde-se tempo que pode ser crucial num caso de vida ou de morte.

Sempre que ocorrer uma emergência médica o número a ligar imediatamente é o 112. É o que nos explica Francisco Marcão, médico do Instituto Nacional de Emergência Médica, coordenador do centro de Orientação deste Instituto, tanto mais que nesta central há serviço de aconselhamento médico e de triagem para diagnóstico e encaminhamento mais precoce. 

Assim, e de modo a garantir aos utentes um apoio técnico mais eficaz, todas as chamadas de emergência devem ser feitas diretamente para o 112 - Número Europeu de Emergência. A chamada é gratuita, está acessível de qualquer ponto do País e a qualquer hora.


Comente esta notícia

Boa Noite , Não consigo entender esta ordem do INEM , ou de quem a inventou , aquilo que vou dizer falo por experiência própria e não vou censurar ou criticar quem me atendeu da parte do INEM (( se for preciso dou a data que isto aconteceu )) ,: Conduzia eu um autocarro na AE 25 sentido Faro Lagos quando a dado altura um dos passageiros se sentiu mal começando a deitar sangue por o nariz de imediato sai da mesma AE na saída de Portimão quando parei na rotunda liguei para o 112 dizendo o que se passava ; A Srª que me atendeu (( Não desfazendo nada nem ninguém Srª com sotaque do norte )) alem de me perguntar onde estava perguntou a idade do passageiro quais os sintomas que tinha entre outras , voltei a referir que circulava na AE 25 sentido Faro Lagos e sai na saida de Portimão estava parado na rotunda , perguntou-me um ponto de referencia voltei a dizer onde estava e que não conhecia o local , pedi para me por em contacto com os BOMBEIROS de Portimão a Srª deu-me como resposta que aquela zona era abrangida por os BOMBEIROS de Lagoa , devido ao tempo de perguntas e respostas e de tanta burocracia desliguei o telefone ligando de seguida o 1820 pedindo há operadora que me pusesse em contacto com os BOMBEIROS de Portimão , o contacto foi rápido disse o que se passava disse onde estava identifiquei-me passados poucos momentos uma ambulância estava junto de mim , o passageiro foi assistido e transportado ao hospital : cerca de 2 horas 2.3o horas mais tarde recebo uma chamada do INEM a parguntar se ainda era preciso algo dei como resposta não obrigado eu chamei os BOMBEIROS de Portimão e ja socorreram o passageiro : Com estas burocracias todas e o tempo que levam a fazer perguntas o doente acaba por morrer há falta de socorro . como disse sou motorista de autocarros de turismo por vezes não conhecemos as localidades por onde passamos , mas sabendo as cidades por onde passamos e pedindo para nos porem em contactos com os BOMBEIROS locais talvez o socorro seja mais rápido . José Constantino Martins do Carmo : José Carmo (( FAC ))

José Constantino Martins do Carmo

30/11/-0001